Flamengo x Atlético MG – Brasileirão 2018


Nota

Defesa 6.1
Meio Campo 5.7
Ataque 3.0
Barbieri 4.9
Pros
Bom posicionamento ofensivo!
Cons
Barbieri e sua mão nervosa!

Pela primeira vez após Copa do Mundo, o Flamengo executa um bom jogo, um jogo pragmático objetivo e com uma estratégia diferente do tradicional Arame Liso, e cruzamentos para consagrar Zagueiros Adversários.

Parece que a água batendo no pescoço de Barbieri , fez ele acordar e perceber o óbvio:

1 – Renê não pode ser titular Absoluto;
2 – Trauco não pode ser esquecido.
3 – A estratégia de Jogo precisava mudar.

1 – Renê é um jogador virtuoso, esforçado, e dentro de suas limitações efetua uma marcação razoável pelo lado, mas quando vai ao ataque é uma negação, não cruza, pouco chega ao fundo, e permite um buraco entre as linhas pelo seu lado.

2 – Não é possível que um Lateral com experiencia internacional, que atua de Meia, foi artilheiro no Peru, seja esquecido no Banco. Está evidente que mesmo com as limitações defensivas, Trauco tem melhor desenvoltura com a Bola nos Pés, e se torna importante em jogos em casa (Por Enquanto no Maracanã) onde o Flamengo precisa a todo custo de vitórias para manter viva a esperança do Hepta. Trauco sabe cruzar, e ainda tem um bom chute de média distância.

3 – Aqui vai o melhor e o pior de Barbieri, há anos neste esquema medonho com pontas, com nuances de terror para qualquer atacante (Já foram vários e todos sofrem para receber bolas neste esquema) Barbieri voltou com Arão de Meia, colocou Paquetá mais próximo ao gol (Atenção! Próximo ao Gol e não como centroavante, por favor), com Cuellar de volante fixo e Everton Ribeiro ainda preso pelo lado, Matheus Sávio jogando como meia, fazendo dupla com Trauco.
Percebemos outra movimentação do time com Arão saindo para jogo, Paquetá voltado a render próximo ao seu melhor desempenho, levando perigo ao gol do oponente. Apesar da boa partida tática de Everton Ribeiro, faltou um pouco a presença dele por dentro, trocando inclusive de posição com Paquetá para permitir a entrada de Arão como elemento surpresa. a presença de Trauco, deu maior amplitude ao time pelo lado esquerdo, estivesse Matheus Sávio em melhor dia poderia ter feito o segundo gol ainda no primeiro tempo. Os números mostram que o Fla se permitiu dar a bola ao adversário, 51% de posse para o Fla, sendo mais efetivo, nos chutes e cruzamentos. Muito me agradou o posicionamento de Arão, Fechou o Lado direito, saiu para o Jogo, apareceu na Área, desde a época de Muricy, não assistia uma partida tão boa de W Arão, verdade que ainda temos problemas na defesa. Pelo lado direito Pará pareceu meio perdido, sendo necessário uma cobertura do polivalente e onipresente Cuellar. Léo Duarte continua marcando mal nas bolas altas.
A bola continua chegando pouco ao Atacante, mas com Arão chegando, Paquetá e Everton Ribeiro, além de Trauco, o time ganhou maior poder ofensivo, com possibilidades de variação de jogadas em busca do gol, e sair daquela rotina de toques para o lado e cruzamentos para o Centroavante Imaginário de dois metros de altura, que já consagrou vários zagueiros medianos.

O Pior de Barbieri

Trinta minutos do segundo tempo, ganhando o jogo contra um adversário perigoso, nosso bravo treinador (não aprende com os erros. AMÉRICA MG 2 X 2 FLA) vai e coloca mais um volante no lugar de Dourado, mata Paquetá ao mudar ele de Posição (é Inadmissível você abrir mão do seu melhor meio campo ofensivo,com 4 opções de atacantes no elenco) chama o time adversário para o seu campo e desgasta Paquetá. Quando todos pensam que vai efetuar a correção, com Marlos (SIC) no lugar de Cuellar (poupando ele para a Quarta) ele opera uma cena estranha. Tira de campo Vitinho, que entrou logo no intervalo na vaga do Matheus Sávio, não que vitinho esteja bem, mas até aquele momento não comprometia, e vamos refletir: quem tem mais chance de acertar um gol com um Chute? Marlos ou Vitinho? Pois é … Achei que Barbieri escalou bem, mudou certo até a saída de Matheus Sávio, e quando tudo parecia ir bem, a mão Nervosa do jovem treinador bagunçou o time todo, deu campo ao Adversário e correu riscos desnecessários, e fomos salvos por Rever, em uma bola que Diego estava batido … Ufa! Três pontos!

Com os resultados dos adversários, voltamos para a briga, mas é necessário que Barbieri controle sua mão nervosa na hora da substituições e continue a refletir na possibilidade de jogar com dois volantes e dois atacantes.

Estatísticas da Partida
FLA x CAM
FLAMENGO x ATLÉTICO-MG

Posse de bola: 51% x 49%
Finalizações certas: 2 x 4
Finalizações erradas: 6 x 6
Passes certos: 366 x 305
Passes errados: 33 x 37
Cruzamentos certos: 3 x 6
Cruzamentos errados: 18 x 26
Desarmes certos: 13 x 13
Lançamentos certos: 8 x 12
Escanteios: 4 x 6
Cartões amarelos: 2 x 2
Cartões vermelhos: 0 x 0
Pênaltis cometidos: 0 x 0

Previous Flamengo x Corinthians - Copa do Brasil 2018
Next Cuellar

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *